Loading...

Problemas que ocorrem no processo de confecção da madeira

  1. Madeira seca com teor de umidade inadequado ao ambiente

As figuras ilustram o que acontece com a madeira quando a secagem não é conduzida até o teor de umidade de equilíbrio para a região de instalação. Na entrega, todo o conjunto está perfeito e sem frestas. Porém, com o passar do tempo, a madeira vai secando no local e, consequentemente, retraindo, abrindo grandes frestas. As aberturas serão maiores quanto mais água a madeira perder até atingir o equilíbrio com a umidade relativa do ar no local.

Esta situação permite o lixamento e calafetação das frestas do piso, com nova aplicação de produto na superfície. Porém, a vida útil sofreu diminuição em pelo menos 5 anos. Como a largura da massa de calafetação é grande (alguns pontos até 8mm no exemplo) existe a possibilidade de que esta se solte em curto espaço de tempo, abrindo frestas novamente.

imagem do livro Guia básico para instalação de pisos de madeira 01

Figura 01: Aspecto do piso recém-entregue ao proprietário.

imagem guia básico para instalação de pisos de madeira 02

Figura 02: Mesmo piso após 6 meses da entrega.

  1. Furos de insetos

Os furos causados por insetos na árvore ainda na floresta aparecem no momento do desdobro da mesma em tábuas e podem ser aceitos nas réguas de um piso desde que estejam em dimensões dentro da tolerância da norma. A figura abaixo mostra uma peça com um furo de inseto em forma de galeria coberto com massa de calafetação. Esta situação é inaceitável, tanto pela estética, quanto pela possibilidade da massa se soltar e deixar um grande buraco na superfície.

Este defeito deveria ter sido eliminado pelo controle de qualidade na indústria produtora do piso, embora o instalador também pudesse remover esta parte no ato da instalação. Certamente este defeito não pode ser eliminado pelo lixamento da superfície, pois a galeria tem aproximadamente 7mm de diâmetro e, para eliminar este defeito, seria necessário remover a mesma quantidade de madeira por meio do lixamento de toda área, não permitindo mais processamentos de revitalização do piso.

Imagem guia básico para instalação de pisos de madeira 03

Figura 03: Furo de inseto coberto com massa de calafetação.

  1. Canal de resina

Este defeito também ocorre com a árvore na floresta e trata-se de uma defesa natural que as árvores possuem ou mesmo outro mecanismo de sobrevivência.

Podem se apresentar aderidos e maciços ou soltos e com o conteúdo se desfazendo. Na primeira situação, não há risco de aparecer um buraco na superfície da madeira e pode ser bem vindo por tornar à estética bem natural. Porém, na segunda situação, o material deve se desprender da madeira e causar um problema estético e de risco de acidente aos usuários, pelo aparecimento de farpas nas laterais.

A indústria deve remover este tipo de defeito, evitando que a peça seja instalada e venha a causar problemas de insatisfação do proprietário.

Imagem guia básico para instalação de pisos de madeira 04

Figura 04: Canal de resina.

  1. Nós ocos, soltos ou cariados

Os nós são o resultado do nascimento dos galhos nas árvores e que podem ser incorporados pela árvore formando apenas um desenho circular, mas podem apodrecer e se tornar um buraco ou rachadura na superfície.

Este é mais um exemplo de defeito que deveria ter sido eliminado na indústria produtora ou na instalação. Novamente, a possibilidade de eliminação do problema passa pelo alto desgaste da superfície e o risco de acidente é muito grande.

Imagem guia básico para instalação de pisos de madeira 05

Figura 05: Nós ocos, soltos ou cariados.

Texto retirado do Livro Guia Básico para Instalação de Pisos de Madeira – Capitulo 9, Pág. 89

2018-10-01T15:37:58+00:00

Leave A Comment