Loading...

ITTO e Honduras assinam acordo de projeto sobre espécies de madeira menos usadas

A ITTO e o governo hondurenho assinaram um acordo sobre a implementação de um projeto para melhorar a silvicultura, comercialização e uso de 12 espécies de madeira menos utilizadas nas Caraíbas hondurenhas na segunda-feira, 16 de abril de 2018. O objetivo do projeto é mudar O setor florestal se distancia da extração seletiva tradicional e promove o manejo florestal sustentável, abrangendo uma gama mais ampla de espécies arbóreas.

Até agora, a exploração florestal em Honduras concentrou-se em algumas espécies madeireiras de alto valor, como mogno (Swietenia macrophylla), cedro (Cedrela odorata) e granadillo (Dalbergia retusa), exercendo pressão sobre essas espécies, causando impactos ecológicos negativos e reduzindo os potenciais benefícios econômicos da silvicultura.

O Instituto Nacional de Conservação, Desarrollo Forestal, Áreas Protegidas y Vida Silvestre, implementará o projeto PD 770/15 Rev.1 (I) da ITTO: “Promoção e manejo sustentável de espécies menos usadas nas florestas úmidas de os departamentos de Atlântida, Colón e Olancho Setentrional ”com o objetivo de melhorar a gestão das florestas caribenhas do país e diversificar a variedade de espécies colhidas nelas.

A assinatura do acordo do projeto contou com a presença do embaixador hondurenho no Japão, HE Héctor Alejandro Palma, e do Diretor Executivo da ITTO, Dr. Gerhard Dieterle, na sede da ITTO em Yokohama.

Espécies como o piojo rojo (Tapirira guianensis), o rosita (Hyeronima alchorneoides), o marapolán (Guarea grandiflora), o santa María (Symphonia globulifera), o san Juan areno (Ilex tectonica), o huesito (Macrohasseltia macroterantha), o paleto (Dialium guianensis) e san O juan colorado (Vochysia ferruginea) é relativamente abundante no Caribe hondurenho, mas está subvalorizado e subutilizado. Muitas dessas espécies têm propriedades comparáveis ​​às de espécies de alto valor, no entanto, e podem formar a base de uma indústria florestal ecológica e economicamente sustentável.

O projeto criará uma estratégia nacional para espécies menos usadas e fortalecerá a capacidade local e institucional para garantir que essas espécies sejam gerenciadas e comercializadas de forma sustentável. Um co-benefício das atividades do projeto pode ser uma melhoria na regeneração de espécies tradicionais que foram registradas intensivamente no passado.

Espera-se que a diversificação das espécies utilizadas no setor madeireiro ajude a aumentar a renda das comunidades florestais na região do Caribe e beneficie produtores florestais, grupos agroflorestais, grupos indígenas (Garifunas e Pech) e municípios da região.

Fonte: International Tropical Timber Organization

2018-04-17T13:42:59+00:00

Leave A Comment