A indústria brasileira de serração conta com o maior número de empresas no setor madeireiro de que se tem conhecimento na história do país, com a capacidade anual de produção indo de 5 mil a 250 mil metros cúbicos, mesmo com uma pequena queda na produção nacional de madeira serrada em 2006. Essa queda aconteceu por causa da diminuição da produção de serrarias na Amazônia.

No período de 2004-2005 houve uma alta na exportação graças à constante demanda dos mercados internacionais e às taxas de câmbio favoráveis.

Os dados mais recentes indicam que a produtividade do setor de serraria tem aumentado gradualmente desde 2015, o que mostra que as empresas da área aumentam a competitividade através da melhora de sua capacidade de produção.

É estimado que, até o fim de 2017, a produção brasileira de madeira serrada seja até 3% maior do que em 2015. Embora seja um aumento modesto, isso representa uma grande mudança em um mercado que estava sendo deixado para trás nos termos de produtividade e competitividade.